O câncer de mama e a importância da mamografia

Quando as células passam a crescer de forma desordenada, e se multiplicam excessivamente, o câncer pode ser diagnosticado. Se essas modificações ocorrem na região do seio, o câncer caracteriza-se então, como de mama. 

Nesse momento, as células mamárias crescem de forma anormal, tanto no ducto mamário, quanto nos lóbulos mamários e podem se espalhar por diversas regiões do corpo.

Não há uma causa única e específica para o desenvolvimento do câncer. Este tumor maligno se desenvolve a partir de um conjunto de células que sofreram alterações genéticas, combinada a fatores de riscos modificáveis e não modificáveis.

Entre os fatores de risco modificáveis mais importantes está o estilo de vida, sendo que condições como sedentarismo, obesidade, sobrepeso após a menopausa e consumo excessivo de bebida alcoólica, também podem aumentar a probabilidade da doença se desenvolver.

Já entre os fatores não modificáveis destacam-se o histórico familiar de câncer de ovário e de mama, a primeira menstruação antes dos 12 anos e a menopausa após os 55 anos.

O tumor geralmente aparece em forma de nódulo na região das mamas e axilas, por isso, é importante que a mulher conheça seu corpo e realize o autoexame, de forma simples, através de movimentos sutis e circulares com os dedos ao redor das mamas e axilas.

Caso a mulher identifique:

*nódulo fixo, endurecido e geralmente indolor;

*pele da mama avermelhada;

*alterações no mamilo;

*pequenos caroços nas axilas;

*saída espontânea de líquidos dos mamilos;

Ela deve procurar por orientação médica.

No entanto, é importante destacar que os sintomas acima podem ser sinais de câncer de mama, mas também podem ter outras causas, por isso, ouvir a opinião de um especialista é a melhor opção.

O diagnóstico precoce é a estratégia mais eficiente de combate à doença. Quando o nódulo encontrado ainda é menor que 1 centímetro as chances de cura podem chegar a 95%.

Muitas vezes, o autoexame não é capaz de identificar um nódulo tão pequeno, e neste caso, os exames de imagem se fazem necessários. Eles devem ser realizados uma vez por ano em todas as mulheres com 40 anos ou mais.

A combinação do autoconhecimento do corpo e a mamografia colaboram muito para tratamentos menos agressivos e diminuem a chance de morte pela doença.

Na Diagmed, a paciente conta com um atendimento especializado e profissionais altamente capacitados na Clínica da Mulher. Dispomos de equipamentos com tecnologia de ponta e soluções eficientes para detectar a doença:

A Mamografia Digital DR com Tomossíntese obtém melhor desempenho na detecção de lesões mamárias quando comparada à mamografia convencional. Permite o esclarecimento de situações com menor número de complementos mamográficos, e expõe a paciente a um menor nível de radiação, colaborando sobretudo, para um diagnóstico mais assertivo.

Destacamos também nossos 3 equipamentos de Mamotomia (Mammotome, Suros e Enspire) e a Mesa Dedicada a Biópsia Estereotáxica. Tudo implementado com o objetivo de oferecer o que há de melhor a você.

Dra. Ana Carolina Moura Martins - Radiologista CRM 93827

Compartilhar esse post:

Comentários